Informações – Vacinação contra a COVID -19

O que é Covid-19?

A COVID-19 é a maior pandemia da história recente da humanidade causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). Trata-se de uma infecção respiratória aguda, potencialmente grave, e de distribuição global, que possui elevada transmissibilidade entre as pessoas por meio de gotículas respiratórias ou contato com objetos e superfícies contaminadas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% das pessoas com COVID-19 se recuperam da doença sem precisar de tratamento hospitalar. Entretanto, uma em cada seis pessoas infectadas pelo SARS-CoV-2 desenvolvem formas graves da doença. Pessoas idosas e/ou com morbidades, a exemplo de pessoas com problemas cardíacos e pulmonares, diabetes ou câncer, dentre outros, têm maior risco de evoluírem para formas graves da doença. É sabido que as medidas não farmacológicas para conter a transmissão do novo coronavírus, que apesar de terem sido fundamentais até o presente momento, têm elevado custo social e econômico, tornando-se imprescindível dispor de uma vacina contra a doença.

Em 20 de março de 2020, foi declarada a transmissão comunitária da Doença pelo Coronavírus.

Sobre o Programa Nacional de Imunização

Um dos grandes avanços tecnológicos em saúde nas últimas décadas foi a introdução de vacinas como importante estratégia na prevenção de doenças. A atenção dada às imunizações vem crescendo em importância, reflexo de políticas de atenção à saúde.

No Brasil, o Programa Nacional de Imunização (PNI) é responsável pela política nacional de imunizações e tem como missão reduzir a morbimortalidade por doenças imunopreveníveis, com fortalecimento de ações integradas de vigilância em saúde para promoção, proteção e prevenção em saúde da população brasileira. É um dos maiores programas de vacinação do mundo, sendo reconhecido nacional e internacionalmente. Atualmente, atende 212 milhões de pessoas, é um patrimônio do estado brasileiro, mantido pelo comprometimento e dedicação de profissionais de saúde, gestores e de toda população. São 47 anos de ampla expertise em vacinação em massa e está promovendo a vacinação contra a COVID-19. Esta ação envolve as três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS), contando com recursos da União, das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e das Secretarias Municipais de Saúde (SMS).

Sobre a Vacinação contra Covid-19

A Campanha de Vacinação contra a COVID-19 tem por objetivo principal a redução da morbimortalidade causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a redução das hospitalizações decorrentes da doença .

Em janeiro de 2021, foi iniciada de forma gradual, conforme grupos-alvo descritos pelo Plano Estadual da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) e em consonância com o Ministério da Saúde (MS) , conforme diretrizes, orientações técnicas e operacionais para a estruturação e operacionalização da Campanha de Vacinação contra a COVID-19. Várias medidas foram utilizadas de forma integrada, a fim de controlar a transmissão do SARS-CoV-2, permitindo também a retomada gradual das atividades desenvolvidas pelos vários setores e o retorno seguro do convívio social.

Tive Covid, quando posso receber a vacina?

Em geral, como com todas as vacinas, diante de doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se o adiamento da vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Como a piora clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção, idealmente a vacinação deve ser adiada até a recuperação clínica total do quadro respiratório e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas.

Qual intervalo e vacina que será aplicada na dose de reforço?

Por determinação do governo do estado de São Paulo, a dose de reforço será com a vacina disponível recebida pela Unicamp através do município.

Indicação do Imunobiológico de DOSE DE REFORÇO – pessoas com 18 anos ou mais

ATENÇÃO:

Em virtude da vacina que estamos utilizando no momento, orientamos que GESTANTES, PUÉRPERAS, MENORES DE 18 ANOS e quem recebeu dose inicial (D) JANSSEN e precisa receber a 1ª dose de reforço (D3), que procurem a Unidade Básica de Saúde do bairro onde reside.

Onde posso receber a vacina no Cecom/Unicamp e qual documentação necessária?

Mediante agendamento: https://agendamento.cecom.unicamp.br

Local: Sala do CIPOI – Entrada pela rampa da farmácia de alto custo (ao lado do Cecom) – Rua do Cecom, s/n, Cidade Universitária, Cep: 13083-888.

Horário: 8:30 às 12h30 e das 13:30 às 17:30, terças, quartas e quintas-feiras (EXCETO FERIADOS)  – OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA

ATENÇÃO:

Pessoas que tomaram as doses anteriores fora do Estado de São Paulo, devem realizar o Pré-Cadastro no sistema do Estado de São Paulo através deste link: https://www.vacinaja.sp.gov.br/

Documentação a ser apresentada no dia da vacinação:

– Documento de identidade com foto;

– CPF;

– Comprovante de vínculo com a Unicamp impresso ou digital;

– Comprovantes das vacinas recebidas – CARTEIRA DE VACINAÇÃO FÍSICA OU DIGITAL.

– Comprovante de agendamento impresso ou digital.

– Declaração médica para o caso de alto grau de imunossupressão.  Clique aqui .


Quem pode receber vacinas no Cecom/Unicamp?

Alunos, funcionários e docentes da Unicamp com 18 anos ou mais.

Para receber a vacina não poderá apresentar sintomas respiratórios e não ter contraído Covid-19 nos últimos 30 dias.

Tenho alto grau de imunossupressão, o que devo fazer para receber a vacina?

Conforme orientações do quadro número 2. Apresentar o comprovante de vacinação. Na sala de vacinação a equipe técnica fará a confirmação no banco de dados oficial para checagem de todas as informações. A vacinação será autorizada exclusivamente para aqueles que cumprirem todos os critérios; e

Apresente condição de saúde para receber a vacina. Apresente relatório ou declaração médica. Conheça, clicando aqui, o Formulário Médico e agravos para indicação da Dose Adicional da vacina contra a covid-19 para pessoas com alto grau de imunossupressão.

OBS: É necessário que o número do CRM esteja nítido e legível, pois será obrigatório para inserção no sistema de vacinação. 


Recebi a vacina, posso doar sangue?

A inaptidão temporária a doação de sangue e componentes associada ao uso de vacinas são:

– Vacina adsorvida covid-19 (inativada) – Sinovac/Butantan: 48 horas após cada dose.

– Vacina covid-19 (recombinante) – AstraZeneca e vacina covid-19 (RNA mensageiro) Pfizer: 7 dias após cada dose.

Certificado de Vacinação Covid 19 na versão Digital

Caso você tenha perdido sua carteira de vacinação impressa, só é possível obter outra via na versão digital.

O Certificado Digital de Vacinação está disponível nos canais digitais Conectsus (site ou aplicativo) ou Poupatempo (aplicativo).

No estado de São Paulo, no momento da vacinação cada vacinado receberá seu comprovante de vacinação impresso que possui mecanismos de segurança antifraude, e no seu verso um QR code que direciona o cidadão ao aplicativo do Poupatempo digital, no qual será possível acessar seu comprovante com certificação digital.

O registro de vacinação inserido em quaisquer dos sistemas de informação de registro de vacinação, Vacivida (estado de São Paulo) ou Si-Pni (outros estados) migrará automaticamente para o Conectsus – Data-sus, e/ou para o Poupatempo (SP). 

Então, depois de vacinado basta o cidadão se cadastrar nos canais digitais citados acima (site ou aplicativo para celular).

Isso feito, com seu login e senha, terá acesso ao certificado de vacinação digital.

Os dois canais oferecem versões do certificado de vacinação contra a covid 19 traduzidas para o inglês e espanhol, ficando a escolha a critério do interessado.

Os dois canais oferecem também a opção QR Code.

Saiba mais em:

ConectSUS –   https://conectesus.saude.gov.br/home

Poupatempo Digital – informações no site para baixar o aplicativo – http://poupatempo.sp.gov.br

REFERÊNCIA

Comunicado nº 47 da DEVISA, de 08/07/2022;

Documento Técnico Campanha de Vacinação contra a COVID-19 39ª atualização do CVE, de 24/06/2022;

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica : emergência de saúde pública de importância nacional pela doença pelo coronavírus 2019 – 20/01/2022 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2022. 131 p. : il.